Destaques


ANEPC

Novo presidente e comando nacional tomam posse

  • ANEPC-Novo presidente e comando nacional tomam posse
A comissão de serviço do tenente-general Carlos Mourato Nunes como presidente da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) terminou no início de novembro e o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, nomeou para esse cargo o brigadeiro general José Manuel Duarte Costa, até agora comandante operacional nacional. Este, por sua vez, propôs ao MAI a nomeação de André Fernandes para esse cargo, e de Miguel Cruz para segundo comandante.

As duas cerimónias de posse contaram com a presença do presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), comandante Jaime Marta Soares.

O brigadeiro-general José Manuel Duarte da Costa tem 59 anos e ocupava as funções de responsável pelo comando nacional operacional nacional da ANEPC desde 2018.

A posse, realizada em 24 de novembro último, foi-lhe conferida pelo ministro da Administração Interna, em cerimónia presidida pelo primeiro-ministro António Costa no salão nobre do MAI. No seu discurso de posse o novo presidente da ANEPC, dirigindo-se ao primeiro-ministro, referiu que “pode contar com todo o meu empenho, forte motivação pessoal e profissional e elevado espírito de missão para estar sempre à altura da confiança que a presença de Vossa Excelência neste ato, outorga”.

Depois de agradecer o apoio de toda a estrutura da ANEPC, Duarte Costa dirigiu um segundo agradecimento, aos homens e mulheres, civis ou militares, bombeiros, profissionais das Forças Armadas ou das Forças e Serviços de Segurança, pessoal de saúde e de apoio social, a todos quantos dão o melhor de si, muitas vezes com o sacrifício da própria vida, para a proteção das pessoas e bens colocados em perigo pela ação humana ou da natureza”.

Depois, dirigiu outro agradecimento “a essa inquebrantável força, verdadeira coluna vertebral do sistema de proteção civil, que são os Bombeiros Voluntários e os seus respetivos Corpos de Bombeiros. A sua permanente presença, junto daqueles que sofrem e necessitam de auxílio, são o verdadeiro esteio do apoio que mitiga os males, aplaca o sofrimento e permitem percecionar segurança. Estarei sempre disponível para com a Liga de Bombeiros Portugueses e demais representantes associativos, Pesquisar os caminhos e entendimentos que permitam melhorar os processos formativos, de carreira, de sustentabilidade e de um profissionalismo dentro do voluntariado, matriz única e incontornável do desapego de uns a favor de tantos”.

O novo presidente da ANPC manifestou ainda querer apostar “nas pessoas, nos recursos e na imagem do sistema de proteção civil” e prometeu “construir pontes” para garantir um sistema “mais eficaz e eficiente”.

A posse do novo comandante nacional de emergências e proteção civil, André Fernandes, e do segundo comandante nacional, Miguel Cruz, teve lugar em 4 dezembro último, nas instalações da ANEPC, em cerimónia presidida pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar.

André Fernandes nasceu em dezembro de 1980 e é licenciado em Geografia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Desde novembro de 2019 que desempenhava as funções de segundo comandante nacional de emergência e proteção civil da ANEPC. De janeiro de 2017 a novembro de 2019 foi comandante operacional distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa, tendo anteriormente desempenhado a função de segundo comandante da mesma estrutura da ANEPC, bem como a de adjunto de operações distrital, entre junho de 2008 e dezembro de 2010. Antes, entre 2005 e 2008, foi técnico superior na Sociedade Parques de Sintra Monte da Lua, S.A.

O novo segundo comandante nacional de emergência e proteção civil, é Miguel Lérias da Cruz¬, nascido em junho de 1973 e licenciado em Engenharia Florestal – Ramo de Gestão de Recursos Naturais pela Universidade Técnica de Lisboa.

Miguel Cruz era, desde fevereiro de 2017, comandante de agrupamento distrital do sul da ANEPC. Entre junho de 2008 e janeiro de 2017 foi adjunto de operações nacional do Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS). Entre 2016 e 2018, Miguel Cruz integrou três missões internacionais, no quadro do Mecanismo Europeu de Proteção Civil UE - apoio aos incêndios florestais, ocorridos na Suécia (julho 2018), apoio aos incêndios florestais, ocorridos no Chile (janeiro 2017); apoio ao sismo ocorrido no Equador (abril 2016). Foi, entre abril de 2007 e junho de 2008, adjunto de operações no Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa da ANPC.

Sofia Ribeiro
07.01.2021 | 16h39