PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

sexta-feira,

17/11/2017

17:23

INCÊNDIOS FLORESTAIS

Apelo do PM aos Bombeiros Portugueses

18/08/2017 11:03:42

lusa1.JPG  

Na reunião havida hoje, dia 18 de agosto, com o Primeiro-ministro, António Costa, na presença dos ministros da Administração Interna e da Agricultura, Constança Urbano de Sousa e Capoulas Santos, outros membros do Governo, os chefes militares da Marinha, Força Aérea, Exército e GNR, o Director Nacional da PSP, o Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses e o Comandante Nacional de Operações de Socorro da ANPC foram informados das condições excepcionais que levam o Governo a decretar o estado de Calamidade Pública para um conjunto de regiões do país que apresentam um risco acrescido de incêndio para os próximos dias

Na oportunidade, o Primeiro-ministro, secundado pela Ministra da Administração Interna, solicitou às entidades ali representadas que passem a participar ou reforcem  os respectivos meios presentes nos teatros de operações, nomeadamente nas zonas onde o risco se apresenta com maior gravidade.

No caso especial dos Bombeiros, o Primeiro-ministro, depois de salientar e enaltecer o papel que aqueles têm desempenhado no combate aos incêndios florestais e no apoio às populações visadas, lançou o apelo ao Presidente da LBP para que, tendo em conta o risco agravado dos próximos dias, seja possível reforçar o dispositivo disponibilizado pelas 470 associações humanitárias e corpos de bombeiros portugueses.

Em resposta, o Presidente da LBP lembrou o enorme dispositivo dos bombeiros, em meios humanos e materiais, que tem permanecido no terreno, em muitas regiões e muitas frentes nas últimas semanas. Lembrou então o enorme impacto que esse esforço está a ter nesse universo, mas sublinhou que os Bombeiros Portugueses nunca se furtaram a um desafio e que o presente, que lhes é lançado pelo Primeiro-ministro, por maioria de razão, será particularmente tido em conta.

O presidente da LBP lembrou ainda a necessidade reiterada várias vezes antes do início do DECIF para que o Ministério da Administração Interna tivesse em conta o acréscimo de custos que o Dispositivo representa para as associações e os próprios bombeiros, apelo que, afinal, nunca foi correspondido.

A terminar, o presidente da LBP, definiu como metodologia, para maior eficiência e eficácia do apelo formulado pelo Primeiro-ministro, que as associações humanitárias e corpos de bombeiros mantenham o contacto directo com a ANPC/comandos distritais de operações de socorro a fim de agilizarem a disponibilidade do reforço solicitado.

 

PUB