PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

terça-feira,

26/09/2017

13:43

Incêndios florestais, prevenção e limpeza dos terr

28/08/2014 11:56:04


Imag.jpgPorque estamos num período a que erradamente se chama da “época dos incêndios florestais” – como se os incêndios florestais não existissem durante todo o ano como tem sido o ano em curso em que na época baixa já aconteceram fogos onde foram destruídos milhares de hectares de matos e florestas – penso, mesmo assim, ser este o momento apropriado para se falar da prevenção que normalmente não se faz.

De facto, os trabalhos desenvolvidos pelos GIPS da GNR, aquartelados em Alcaria – Porto de Mós, têm tido resultados extraordinários nomeadamente no concelho de Alcanena, que conheço melhor. A sua presença, o seu contacto pedagógico com as populações têm sido alvo de todos os elogios, aliás bem merecidos. É certo que nem todos os proprietários compreendem as razões do interesse da limpeza dos matos que circundam as suas habitações e outras construções. Mas quando vêem os seus bens em perigos sabem gritar que os Bombeiros não chegam a todo o lado. Este trabalho dos GIPS é primordial para que os meios dos Bombeiros se possam concentrar no combate aos fogos, em vez de se dispersarem na defesa das habitações quando circundados de mato, quantas vezes até ao telhado.

A lei existe – limpeza de 50 metros em redor das construções – mas muitas vezes não é respeitada. Daí a razão de tantas aflições que as televisões exploram em termos mediáticos. E daí também as tragédias da perda de vidas humanas, especialmente de Bombeiros que juraram dar a Vida por Vida, mas não a Vida por uma árvore ou por uma casa, com infelizmente tem vindo a acontecer frequentemente ao longo dos últimos anos. Por tudo isto é de louvar o trabalho sistemático dos GIPS/GNR, que como força da autoridade é mais respeitada e com bons resultados.

Seria importante que este serviço pudesse ser alargado a todo o país, em sintonia com as autarquias e com os Sapadores Florestais Municipais e Associativos na silvicultura preventiva, começando por limpar lotes municipais e caminhos rurais, para darem bons exemplos de cidadania e facilitar a vida aos Bombeiros que estão sempre disponíveis para defender as vidas e bens do seu semelhante.

Mas também as grandes empresas como as Estradas de Portugal, as concessionárias das auto-estradas, a REN nos canais por onde passam linhas de alta tensão e condutas de gás, as empresas de telecomunicações nas zonas por onde passam as suas linhas, a CP e/ou a REFER junto às linhas ferroviárias, especialmente as mais abandonadas e até o Estado Português, nas suas florestas, como o caso do Pinhal de Leiria, poderiam – deveriam – fazer uma prevenção mais efectiva sempre no sentido da defesa do ambiente, da natureza, do bem comum e ao mesmo tempo na defesa e na segurança dos Bombeiros nos combates desiguais que são obrigados a travar com o inimigo comum – o fogo.

O ditado é antigo: Vale mais prevenir do que remediar, E se cada um de nós cumprisse a sua obrigação, tudo seria melhor para todos.

Carlos Pinheiro

09.07.14

PUB