PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

segunda-feira,

11/11/2019

21:23

Um até sempre

07/04/2019 10:43:28

Desapareceu do nosso convívio um grande e bom amigo, Miguel Jerónimo. Mas, estejamos certos, não irá desaparecer da nossa memória, até coletiva, a sua forma especial de transformar problemas em soluções, a sua forma de encarar as dificuldades em oportunidades, uma postura sempre pró-ativa com que nos marcou pessoal e profissionalmente.

MIGUEL-JERONIMO.jpgNem sempre era fácil captar imagens, nem sempre era possível fazê-lo do melhor ângulo, nem sempre era fácil obter a declaração. Porém, o Miguel Jerónimo lutava para que tudo resultasse, para que tudo fosse conseguido, em suma, para que o trabalho fosse concluído da melhor forma.

Neste momento em que o vemos partir da nossa vista, mas não da nossa memória, vêem-me à mente uma catadupa de situações em que precisamente ele provou à saciedade tudo isso.

Dirijo-lhe um grande abraço de agradecimento e orgulho pelos muitos momentos que vivemos juntos, primeiro na RTP no âmbito da Direcção de Informação, e depois no “Vida por Vida”.

Particularmente no “Vida por Vida”, o único programa televisivo de informação dedicado aos bombeiros a nível mundial, o Miguel Jerónimo e a sua equipa, o Jorge, o Sérgio e outros deram o seu melhor. E com pouco, tantas vezes com muito pouco, honraram a sua profissão de mestres do audiovisual e honraram os bombeiros portugueses.

Fica para a história da RTP como um dos programas com maior regularidade de audiências, não obstante os tratos, direi maus-tratos, a que foi tantas vezes foi sujeito, de mudança de horário e até de mudança de canal. Mas, apesar de tudo isso, sem favores nem boleias de programação, soube fidelizar o seu público, não só do universo dos bombeiros, mas muito mais que isso.

O programa foi uma ideia do Miguel, inicialmente apresentada ao SNB, depois produzida em parceria com a LBP e, por fim, a que a RTP pôs termo duas décadas depois sem explicações, nem para o próprio, nem para a LBP e para os bombeiros.

Foi para mim um enorme privilégio ter podido comungar dos sonhos, dos desafios, do extraordinário trabalho coletivo que o Miguel liderou.

Estou crente que ele não nos abandonou e que, com a irreverência, espírito lutador e a capacidade de sonhar que os anos nunca lhe roubaram vai continuar a andar por aí. Até sempre.

Um forte abraço de pêsames a toda a família do Miguel e, em especial, aos filhos Mara e Jorge, com quem temos tido também o gosto de trabalhar.

 

Rui Rama da Silva

PUB