PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

quarta-feira,

21/11/2018

12:03

Somos transparentes ou quê

01/02/2018 15:50:09

Na tragédia ocorrida em Tondela houve muita gente a falar de tudo mas curiosamente não falou de todos os que lá estiveram e que ainda por cima eram largamente maioritários. Estou a falar dos bombeiros como é óbvio. Todos falavam de agentes da proteção civil, de agentes de socorro mas valha-me Deus ninguém quis chamar as coisas pelos nomes. Bombeiros são bombeiros e não são outra coisa, e lá estiveram 167 elementos e 67 viaturas, cerca de metade das quais ambulâncias de socorro.

Há coisas que me tiram do sério e também o próprio presidente da Liga. Não deveria ter sido necessário vir dizer quem lá estava apenas porque a própria comunicação social e os responsáveis que andaram por lá só falaram de agentes de proteção civil.

Soube-se entretanto quantos elementos o INEM teve lá presentes, e quantas viaturas. Falou-se até da Força Aérea que fez o transporte dos feridos mais graves, da Polícia Judiciária, da GNR e até da Polícia Municipal de Viseu. E dos bombeiros nada.

Ninguém chega habitualmente ao café e pede uma garrafa de água mineral gaseificada. Normalmente pede, por exemplo um “quarto de Pedras”. Quando se precisa de socorro ninguém diz para se chamar os agentes da proteção civil mas pede-se para chamar os bombeiros, ou não é assim?

Esta cena tem ocorrido demasiadas vezes. Será que os bombeiros perturbam alguém? Será que os bombeiros são o que são com a força e a disponibilidade que têm e há quem não goste disso?

Outro disseram-me que numa só semana em Portugal, e passa-se sempre assim, os bombeiros correspondem a mais de 98 por cento dos agentes presentes em todas as situações de socorro somadas. Numa destas semanas estiveram no terreno 20718 agentes e destes 20295 eram bombeiros. É o próprio INEM que diz que numa semana das 25487 intervenções de pré-hospitalar que coordena 21450 são executadas por bombeiros

Uma coisa é certa, quer queiram quer não, o que é certo é que os bombeiros não são transparentes, a população sabe-o, e quando precisa deles chama-os pelo nome.

 

PUB